Como fazer um aplicativo para o meu negócio de forma simples e eficaz

É possível que você, empresário de micro, médias ou pequenas empresas já tenha se questionado sobre como fazer um aplicativo para o seu negócio. Entre o sonho e a realidade, ainda há muita gente acreditando que, para o negócio ser “moderno”, é preciso ter um app.

Mas, será que é mesmo?

Em 2017, aplicativos ainda são sedutores

A sedução das histórias de grandes empresas de tecnologia dos Estados Unidos ainda batem com força na mente do empreendedor iniciante. Dissuadi-los não é tarefa fácil. A não ser por um motivo: o bolso.

Por isso, todas as vezes que ouço questionamentos sobre ter um aplicativo, respondo com uma outra pergunta: você já lançou o seu site responsivo? Isso porque boa parte das que vejo são de pequenos e médios negócios, que mal tem uma boa identidade. Quem dirá um site.

Como fazer um aplicativo para sua marca?

E qual a diferença entre aplicativos e sites responsivos?

São bem diferentes entre si. Mas tem algo em comum: o celular.

APLICATIVOS

Aplicativos são programas instalados nos celulares. O processamento deles acontece no casamento com o sistema nativo do aparelho (Android, iOS, etc). Isso agiliza determinadas tarefas, uma vez que eles só precisam trabalhar com os dados trocados com a internet. Ao serem baixados, os apps deixam um ícone no celular que são sua porta de entrada.

Os de mais sucesso foram criados para negócios que precisam ter seu serviço rodando no celular do cliente, especialmente como marketplace, ou seja, o lugar onde as vendas de produtos/serviços acontecem. Os exemplos são Mercado Livre, Uber, Itaú, iFood, entre outros.

Outra linha bem conhecida também é a dos comunicadores instantâneos e redes sociais. Whatsapp, Messenger, Facebook, Twitter, Instagram são os mais conhecidos no Brasil.

SITES RESPONSIVOS

Já os Sites Responsivos são os nossos velhos conhecidos sites. A diferença é o formato, que se adequa ao celular, dispositivo com uma tela bem menor que os computadores de mesa. Para acessá-los, basta ter um navegador, seja ele Chrome, Firefox, Safari, entre outros.

Basicamente, essas são as diferenças no funcionamento. Mas…

Como eu sei o que escolher?

Veja, antes de tudo, você precisa conhecer bem seu negócio.

Observe os esforços que cada aplicativo faz para gerar interesse e ser baixado em um celular. Você acredita que seu produto/serviço tem as características para ter um próprio aplicativo? Viu os modelos que deram certo e, principalmente, os que deram errado? Ou é apenas um capricho para uma ideia que você deseja testar?

A seguir, alguns pontos que nunca pensamos quando temos a ideia de (mais) um novo app:

  • Você chegou a rascunhar a estratégia de divulgação?
  • O que irá estimular seu cliente a baixar seu aplicativo?
  • Há dinheiro para por a campanha na rua? Ou você confia que seu app virará um “viral”?
  • E a equipe de melhoria do aplicativo? Consegue mantê-la até seu app começar a se rentabilizar?
  • Aliás, você já sabe como ele fará dinheiro (modelo de negócio)?
  • Há algum similar no mercado? Ou sua ideia é tão inovadora assim que não existe nada parecido?
  • Todas as vezes que ouço sobre “um novo app“, me pergunto se a marca já pensou, pelo menos, nesses pontos acima.

Em geral, ficam perguntas sem resposta. Mas nem tudo está perdido, pois ainda temos uma boa solução.

Site Responsivo é na Venda Consultoria

Sites responsivos: o campeão para projetos e pequenos negócios

Já deu para perceber que, nesses casos, apóio bastante a ideia de ter um site ao invés de estruturar um app. Mas, veja, não é um caminho ideológico. É prático! Para projetos, eventos e pequenos negócios, ter um aplicativo não é algo trivial como vimos nas perguntas acima. Projetos enxutos, com verba reduzida, devem ser precisos em seus gastos.

E se nada justifica um aplicativo, por que ainda sugerem isso?

Com um site responsivo, você pode colocar a marca na internet mais rapidamente, deixando-a acessível para qualquer dispositivo. Com muito conteúdo, sem esquentação de cabeça e ainda auxilia as buscas no Google.

E quando saberei o momento certo para criar e lançar o meu aplicativo?

Bem, seu desejo é lançar um aplicativo para realizar um sonho? Ou seu negócio tem qualidades que justificam o lançamento de um app que fará seu negócio funcionar e vender de verdade?

Estamos em 2017. Se você analisa constantemente seu projeto, empresa, produto, serviço, é preciso entender o real objetivo dele. Já passamos da época de nos encantarmos com tecnologia ou com grandes novidades.

É melhor uma mensagem positiva do BANCO, que um tapinha nas costas de seus companheiros dizendo “que aplicativo legal!”.

Aproveite o que já foi criado. Olhe para onde ainda não olharam. Há muitos espaços no mercado e nem todos precisam de um ultrarevolucionário app.

Mas se a ideia do negócio for boa e precisar de um aplicativo? Boa sorte e mãos à obra!